Pessoas Interessantes: Sarah Schenirer, Tamar Ross e Rahel Berkovits.

Existem muitas pessoas interessantes na comunidade Judaica mundial, eu trago aqui três mulheres fascinantes. Eu deixo links no corpo do texto para você saber mais sobre essas mulheres e as obras que elas produziram.

Sarah Scenirer

IMG_8351

Fundadora do movimento Bais Ya’akov, professora e um símbolo de inspiração para jovens judias das comunidades ortodoxas do mundo inteiro. Sarah Schenirer nasceu numa família polonesa na qual haviam vários rabinos famosos, mas desde cedo sentiu que não havia oportunidades para mulheres aprenderem Torah. Na época e na região na qual morava, era comum que os meninos fossem para escolas religiosas se dedicar ao estudo do canône judaico e que as mulheres terminassem por estudar temas seculares, pois a ideia de ensinar Torah para mulheres dentro de escolas religiosas era algo considerado estranho, inapropriado e desnecessário. O pai da Sarah Schenirer percebeu o interesse da filha pelo estudo da Torah e forneceu à ela vários textos religioso traduzidos para o Yiddish.

A família Schenirer se mudou para Viena durante a IGM. Nesta maravilhosa cidade, ela conheceu o Rabino Fesch, este Rabino havia sido discípulo do Rabino Hirsch que era uma espécie de precursor da ortodoxia moderna como que eu conheço hoje. O contato com as ideias do Rabino Fesch mudou o modo como Sarah via o papel da mulher na comunidade ortodoxa de seu tempo.

Em 1917, quando a família Schenirer retornou para a Polônia, Sarah desenvolver um tipo de atividade educacional para as mulheres de sua comunidade. A ideia dela era de que a instrução formal do Judaísmo era a principal ferramenta para combater a assimilação que acontecia entre as moças judias da sua comunidade. Com as bençãos do Rebbe de Belzer, ela começou a sua aventura de criar escolas. É curioso notar que o Rebbe de Belzer, apesar de ter dado a sua benção, acrescentou a ressalva de que as jovens judias da comunidade hassidica de Belzer não poderiam estudar nas escolas de Sarah Schenirer, porque era considerada uma inovação radical na época.

Sarah Schenirer não possuía instrução formal em pedagogia e estudos judaicos, ou seja, ela estava longe de ser uma Maharat de Manhattan, mas ela criou um dos mais famosos e importantes movimentos educacionais para mulheres judias da comunidade judaica ortodoxa mundial.

“Eu não preciso que ninguém se lembre da minha aparência. Eu quero que eles se lembrem da minha visão”, esta é uma frase atribuída à Sarah Schenirer e que representa tanto a sua modéstia quanto o símbolo de liderança que ela foi.

Tamar Ross

IMG_8348

O judaísmo se desenvolve gradualmente – incluindo a Halacha – no decorrer da história, pelo menos em um mundo no qual existe uma estudiosa como a Prof. Tamar Ross. Mente aberta, anomalia, religiosa, ortodoxa, estudiosa, filosofia, teologia, escritora, essas são apenas algumas palavras associadas à essa pessoa fascinante.

Ross é professora de filosofia judaica e estudo sobre gêneros na Universidade Bar-Ilan em Jerusalém. Ela também foi professora de filosofia judaica na Midreshet Lindenbaum em um programa que oferecia estudos talmúdicos  A casa dela, em Givat Hamivtar, é repleta de livros, pinturas e fotografias. Ela é conhecida pela sua profunda sensibilidade religiosa e por seu entendimento de que a Halacha esta constantemente evoluindo. Tal percepção – influenciada também pelos textos do Rabino Kook – se baseia na ideia de que a Torah/Talmud não foram uma revelação fixa na história, mas uma revelação acumulativa. Outras influências que a Tamar Ross teve ao longo de sua vida foram o movimento jovem judaico Bnei Akiva e seu pai, o Rabino Wohgelernter.

Tamar Ross já publicou vários artigos e livros. O mais famoso e controverso deles é o “Expanding the Palace of Torah“. Eu ainda não consegui ler esse livro, mas as resenhas e críticas que eu tive acesso sobre o texto dela nesse livro me deixaram fascinada pela obra.

Rahel Berkovits

IMG_8350

Rahel ensina Mishnah, Talmud e Halacha no Instituto Pardes em Israel (um dos meus sonhos ousados é estudar neste instituto nem que seja apenas durante algumas semanas das minhas férias de verão). A professora Rahel Berkovits é ex-aluna da Midreshet Lindenbaum, do Instituto Shalom Hartman e da Universidade Hebraica de Jerusalém.

Berkovits dá aulas no mundo inteiro em tópicos relacionados à mulheres e Halacha. Ela também é editora chefe e editora de assuntos de Halacha da TaShma Jofa’s Halachic Source Guide Series e membro fundadora da Congegação Shirah Hadasha em Jerusalém. Eu já rezei nesta sinagoga em Jerusalém e posso afirmar, sem sombra de dúvida, que é uma experiência única e transformadora, especialmente para quem vive na aridez que é experiência religiosa da comunidade ortodoxa no Brasil.

A professora Berkovits publicou o livro “A Daughter’s Recitation of Mourner’s Kaddish” recentemente, contudo considero as suas palestras e demais materiais – justamente porque são mais acessíveis, o que ela possui de mais interessante para o público brasileiro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s